É birrento? Se irrita por pouco? Reclama por qualquer coisa? Junte-se a nós!

Wednesday, September 13, 2006

Bauru, entendeu, tchê???

Ao mesmo tempo que é um inferno (trânsito, violência, poluição) sem fim, São Paulo é um alento para aqueles que moram em outras capitais e, por qualquer motivo que seja, passam alguns dias tentando conhecer a maior megalópole da América do Sul se divertindo com a diversidade de produtos, serviços e atrações. Na capital paulista, é possível encontrar tudo que se procura, mesmo que nem sempre esteja disponível.

Dentro dessa de procurar raridades, fui visitar a Galeria do Rock, responsável por grande desfalque na minha conta bancária e pelo incremento na minha coleção de Ramones, Nico, Johnny Cash, The Animals, Iggy Pop, Lou Reed, New York Dolls, Johnny Tunders e mais alguns antigos. Após a aquisição de alguns exemplares e preenchimento de parte da minha coleção de cds, decidi preencher o meu estômago. Lembrei de um conselho de um amigo paulista: “Meu, aqui onde tem comida boa, a bebida é ruim, e vice-versa”. Caminhando pelo centro, encontrei uma lanchonete que tinha o aspecto das encontradas aqui em Porto Alegre. Luminosa, com bom movimento e preços acessíveis. Li a palavra mágica: Bauru! Perfeito! Entrei e pedi uma cerveja (em lata, que eu me lembre) e um Bauru sem salada, tentando disfarçar o sotaque gaúcho (até porque acho o ‘gauchês’ sonoramente horroroso). A partir daí, teve início o seguinte diálogo:

- Boa tarde! Um Bauru sem salada e sem maionese e uma cerveja, por favor.
- Boa tarde, senhor! Mas não vem maionese no Bauru.
- Ótimo, - comemorei.

Aguardei por alguns minutos, já degustando a cerveja e folhando os encartes dos cds quando chegou um prato a minha frente, no balcão. Surpreso com a apresentação de um sanduíche prensado, protestei polidamente:

- Amigo, acredito que houve um engano – falei timidamente, apontando para um pão francês (ou cacetinho, para os gaúchos) recheado com queijo e presunto. – Eu pedi um Bauru.
- Então? Sem salada, né? Fizemos pro senhor. – respondeu o garçom, convicto de sua posição.
- Não, isso não é um Bauru. Cadê o pão cervejinha e o bife?
- A cervejinha nós já servimos, senhor. No Bauru não vai bife.

Aí sim foi a gota d’agua.

- Mas como não vai bife no Bauru???? Desde quando???????
- Nunca foi e nunca vai ir. Bauru é pão francês, queijo, presunto e tomate. Prensado.
- Mas é a primeira vez que vejo algo assim. E é claro que em Bauru vai bife!!! Eu li na porta: “Bauru R$ 5,00”!!! Eu tenho vontade de comer Bauru! Pão cervejinha, queijo e carne bem passada, sem salada, por favor!!!!
- Ah, o senhor quer o americano??
- Não, quero Bauru! Sem salada!
- Então, isso aí que você falou é americano!
- Que americano, tchê (nesse momento, minha identidade foi revelada)? É Bauru! Não conhece o Bauru Trianon, famoso em Porto Alegre?? Deve ter um por aqui!
- Mas todo Bauru por aqui é assim... sem bife e com pão francês!
- Não fode! isso não existe!! E não é Bauru!!! Não é!!
- Tá, então o senhor não quer o bauru?
- Esse não! Quero o de verdade!
- Esse seu aí não tem aqui!
- Quanto é a cerveja?
- R$ 2,00.
- Obrigado!

Deixei o local indignado, expondo toda arrogância gaudéria (a qual não possuo, mas naquele momento, usei-a indevidamente) e convicto de que havia feito um bem para humanidade ao defender a tradição do Bauru que comemos aqui no Sul. “Honrei o criador do Bauru, seja quem for!”, pensei. E fui para o flat, após uma crise diplomática causada por uma convicção estúpida de quem as culturas deveriam ser semelhantes.

* Contribuição do amigo Andrei Fonseca, direto de Porto Alegre heheh. Para o povo entender o motivo de tanta revolta já deixo o link do Bauru Trianon da terrinha. É muuuito bom e completamente diferente.

15 Comments:

Blogger Bobie Salles said...

Pô, Paulinha!
Tem que falar pro amigo Andrei ir comer Bauru no PONTO CHIC. Tem um bem pertinho da Galeria do Rock.

É diferente tanto dos "comuns", quanto do "Trianon". Mas tem rosbife e um molho delicioso. A receita é assim (segundo o site do Olivier Anquier: Pão francês aberto, sem miolo, (ok, sem reclamações contra o "cacetinho") uma porção de queijo mussarela, derretido em banho-maria, Fatias de rosbife, Rodelas de tomate, Rodelas de pepino (picles), Sal e orégano a gosto.
Beijocas!!!

8:21 AM

 
Blogger ana cartola said...

EU PRECISO DESSE BAURU GAÚCHO!

Tá, passou...
Então, nas duas lanchonetes onde eu comi em Porto Alegre, os lanches eram IMENSOS e maravilhosos.
Claro que eu não lembro do nome de nenhuma das duas, mas uma delas fica naquele parque (que eu também não lembro o nome, claro) onde tem aquela perdição de feira de artesanato e antiquidades. Cara, é bom demais.

7:07 PM

 
Blogger Paula Pereira said...

Aeeee Carlota! Mais uma defensora do bauru e que ainda por cima não é suspeita heheh. Andrei, o criador do bauru, seja quem for, deve estar satisfeito! Aliás, seria a Lancheria do Parque? Bjs

7:58 PM

 
Blogger Marco Aurélio said...

Bauru não é nem pão com queijo, presunto e tomate, nem esse negócio de pão cervejinha e não sei mais o quê. Bauru de verdade é o do Ponto Chic, onde o sanduíche foi inventado. O resto é invenção.

7:00 AM

 
Blogger Marco Aurélio said...

Er...

7:02 AM

 
Blogger Paula Pereira said...

Tudo bem, Marco. Fica comendo aqui em Sampa que eu vou pra Porto com a tua mulher mostrar o que os gaúchos têm de bom!heheh

11:21 AM

 
Anonymous Ricardo said...

Para esclarecer melhor...

Olá, a receita do Ponto Chic é diferente da que foi citada pelo Mario. Almocei lá hoje (23/11/06) e pedi o bauru original. Segue a história. Bauru, um dos mais famosos lanches do Brasil, foi criado pelo bauruense Casimiro Pinto Neto, em 1934, no Bar Ponto Chic, em São Paulo, capital. Sua receita original consta de pão francês sem miolo, fatias de rosbife, queijo derretido, rodelas de tomate e pepino. A história Casimiro Pinto nasceu em Bauru-SP, em 5 de abril de 1914. em 1931, ingressou na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Orgulhoso de sua cidade natal, sempre foi conhecido como "Bauru". Juntamente com outros estudantes, artistas e intelectuais, frequentava o restaurante Ponto Chic, no largo do Paissandu. Numa noite, em 1934, procurou o cozinheiro do restaurante e "ditou" a receita de um sanduíche: pão francês, aberto e sem miolo, uma porção de queijo derretido em banho-maria, fatias de rosbife, rodelas de tomate cru e pepino (picles). Segundo Casimiro, essa receita incluia os elementos básicos de um lanche equilibrado em albumina, proteína e vitamina, conforme ele havia lido em uma cartilha sobre alimentação. Na mesma noite, outros frequentadores pediram o novo sanduiche, dizendo que queriam um "igual ao do Bauru". Nascia um dos mais famosos lanches do Brasil e também conhecido em outros países. A receita Pão francês aberto, sem miolo Uma porção de queijo mussarela, derretido em banho-maria Fatias de rosbife Rodelas de tomate Rodelas de pepino (picles) Sal e orégano a gosto


http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI1449320-EI6614,00.html

1:57 PM

 
Anonymous nat said...

PÃO COM BIFE NÃO É BAURU! PRA QUÊ MUDAR O QUE JÁ EXISTIA, NÉ? ERA SÓ DAR UM OUTRO NOME! PÃO COM BIFE JÁ É UM BOM NOME, MAS PELO QUE VEJO DO "OURGULHO GAUDÉRIO" PODIA CHAMAR "GAÚCHO"!
PS: O PÃO COM BIFE DO TRIANON É UM LIXO!

12:01 PM

 
Anonymous Marcela said...

Como boa BAURUENSE e TURISMOLOGA.. venho defender o BAURU ORIGINAL!!!!!!!
Não vai bife... muito menos salada!! Do mesmo modo que vc fico indignada com o cara.. to com vc!
ORIGINAL:
Pão francês;
Queijo derretido em água;
Tomate;
Rosbife (ROSBIFE!!!!)
e Picles....

o lanche é perfeito... grande... garanto q nem maionese e nem salada vai nesse ai... o que vc queria poderia ate ser o americano.. mas BAURU EU GARANTO QUE NAO É!

12:41 PM

 
Anonymous Anonymous said...

Olá ... sou de Curitiba, e já estive no RS algumas vezes, mas por incrível que pareça até há um dia atrás Bauru para mim era sim Pão, queijo, presunto, orégano. Inclusive se perguntar para a maioria dos Curitibanos vai ver que a resposta é a mesma.
Aliás em 34 anos de existência não tinha o ouvido falar nisso.
Porém, uma amiga me falou de tal Bauru, e parece que tem um aqui em Curitiba bem bom ( de um gaúcho é claro). Então esse fds vou experimentar.
Seja ele Bauru, Baurú gaúcho etc... parece ser bom. Mas, que parece ser algo bem típico do RS parece, portanto vc vai passar por isso muitas vezes se pedir um Bauru em outros estados.

Abs.


Jeff

11:58 AM

 
Blogger AnaMariaCrazy said...

Amigo,
Sou uma gaúcha que mora em Sampa...hoje fuipesquisaer uma foto de Bauru (de verdade) para mostrar pro meu marido que só cocnhecia o falso Bauru... encontrei tua odisséia...estou em lágrimas... pq eu ja passei por isso....
Sonho com o Trianon....
Abraços

Ana Maria

2:35 PM

 
Blogger Nell Silva said...

Paula,
agora vc pôde entender uma paulista que descobre que no RS, misto-quente é torrada, bucho é mondongo, lanche é 'X', lagarto é tatu, o 'X-Salada vem com ovo+milho+ervilha, é prensado e se come com garfo e faca...
Amiga, Gaucha, coisa do Brasil Continental.
Agora, eu amei(!!!!) o bauru do Trianon. Nos 3 anos que morei na serra gaúcha, ia a POA só para degustá-lo.
Aliás, ando atrás da receita do tal pão cervejinha, mas as opções que encontrei pela internet não chegam nem perto.
Você não teria como conseguir a receita verdadeira?
Seria grata a ti pelo resto de minha (espero) longa vida
abraços paulistas
Nell

12:31 AM

 
Blogger Ponto Chique Lanches said...

pô gente !! tem que ir no ponto chique lanches na bento 1971, em porto alegre .Aquele sim é BAURU , feito com filé ,não bife .filé ,ovo,alface,tomate,queijo ,e maionese.é de dar água na boca .

12:56 PM

 
Blogger Ponto Chique Lanches said...

pô gente !! tem que ir no ponto chique lanches na bento 1971, em porto alegre .Aquele sim é BAURU , feito com filé ,não bife .filé ,ovo,alface,tomate,queijo ,e maionese.é de dar água na boca .

12:57 PM

 
Anonymous Lizeth said...

Realmente, em muitos lugares por aí (inclusive em Bauru) o sanduíche Bauru é feito de: pão francês, presunto e queijo (é a versão "popular")

Mas a receita do Bauru legítimo é: "pão francês sem miolo, uma porção de queijo derretido em banho-maria, fatias de roastbeef, rodelas de tomate e pepino em conserva (picles)."


Caso queira ler a História sobre sua criação (inclusive em honra ao seu criador, conforme vc cita em seu texto):

http://www.sanduiche.baurusp.com.br/historia.php?menu=no

site oficial do sanduíche Bauru:
http://www.sanduiche.baurusp.com.br/?id=receita
nesse site, inclusive, aparecem receitas de outras versões do sanduíche.

Inclusive, são todas muito boas. Bom apetite!

12:17 PM

 

Post a Comment

<< Home