É birrento? Se irrita por pouco? Reclama por qualquer coisa? Junte-se a nós!

Friday, September 01, 2006

Pessoas interativas

Olá, olá, com licença.
Para começar, nada dessa pederastia de Gente, foi horrível! Sou macho, caralho. Mas que o mundo conspira constantemente para que tudo pareça mesmo horrível, ah, conspira!
Semana passada, por exemplo, fui pegar minha carteira de habilitação definitiva. Sim, tenho 31 anos de idade e um ano de habilitação. Por quê, vai encarar? Humpf. Então. Lá fui eu ao Poupatempo de Itaquera, preparado para pegar fila, passar em novecentos guichês diferentes, gastar com cópias desnecessárias, tudo o que já é de praxe no serviço público. Eu só havia me esquecido, porém, da maior de todas as ameaças que causam pavor na sociedade moderna: as terríveis...

PESSOAS INTERATIVAS


Essa é a pior de todas as pragas, o grande flagelo da humanidade, a sétima trombeta, o esterco das montarias dos Cavaleiros do Apocalipse. Pois, vejam, minha mãe me ensinou ainda em tenra idade a não falar com estranhos. Será que esses felasdaputa* não têm mãe?
Estava eu na fila para tirar cópias de vários documentos (cópias que, rá!, não seriam necessárias), quando um baixinho que estava à minha frente virou-se de lado, me olhou com o olho do rabo rabo do olho, e comentou:
— É tudo pra comer nosso dinheiro...
Trata-se de um velho truque das pessoas interativas, lançar um comentário qualquer destinado a ninguém em particular, na esperança de que algum incauto morda a isca. Eu, vacinado contra essa raça, permaneci em nobre silêncio. Não adiantou. Percebendo minha indiferença, o nanico partiu para a abordagem direta:
— Escuta... Você sabe como eu chego no Detran?
— Metrô. Estação Sé. Ônibus até o Ibirapuera.
O segredo é dar apenas informações objetivas. Nada de verbos, adjetivos ou outros cosméticos lingüísticos que estimulem a conversa. Adiantou? Nada!
— Cê não acredita, rapaz. Tenho que pagar o IPVA de 2005, porque roubaram meu carro e... [conversa mole filtrada pela audição seletiva]. É foda, né?
— É.
A secura não desanimou o verticalmente prejudicado:
— Se bem que tem um Detran aqui, né?
— Então faz aqui.
— Mas aqui eu pago 35 reais. Lá no Ibirapuera eu não pago nada.
— Então faz lá.
— É, só que tem a condução.
ENTÃO VÁ PRA PUTA QUE O PARIU! — eu não disse, porque chegou a vez dele ser atendido. Foi até o balcão, tirou cópia de seus documentos e saiu acenando para mim, com ar de camaradagem. Eu, nobre como sempre, olhei para o outro lado.

* Professores de português dizem que a palavra "qualquer" é a única do idioma que tem o plural no meio ("quaisquer"). Sabem nada! O termo castiço "feladaputa", cujo plural é "felasdaputa", segue a mesma regra.

22 Comments:

Blogger joao said...

This comment has been removed by a blog administrator.

7:42 AM

 
Blogger joao said...

Nossa Marco Aurélio, imagino que voce deva ser dos mais insuportáveis seres humanos. Quer coisa mais legal que quando aquele velhinho vem puxar um papo besta com você na fila do banco?

Você, pelo jeito, é um dos membros dessa nova geração hype que está surgindo na classe média. Pessoas individualistas, amargas e que se julgam auto-suficientes em sua própria ignorância. A vida não se resume a ler um bom livro, beber um bom vinho e analisar o último disco do Chico. Há muita vida lá fora.

Eu sou uma pessoa interativa daquelas da pior espécie (estamos quites, agora você também me acha insuportável) e puxo qualquer assunto idiota com o cobrador, com a secretária, com gente no elevador, e não vejo nenhum mal nisso. Aliás, conheci uma ex-namorada puxando assunto fútil de previsão do tempo. E por mais que voce não creia, não era nenhuma estúpida.

Acredite! Alguns assuntos e amizades interessantes surgem de pequenas ações interativas aparentemente idiotas. Interagir faz bem. Pratique.

7:43 AM

 
Blogger Marco Aurélio said...

João, não fomos apresentados. Faça o favor de não me dirigir a palavra.

11:02 AM

 
Blogger Paula Pereira said...

Amiguinho, um interativo inteligente é aquele que sabe a hora de se calar. Respeita porra. Um pouquinho de atenção e a gente percebe quando é bem-vindo ou não. Ontem à noite, por exemplo, uma velha bêbada queria puxar papo comigo sobre o preconceito com os fumantes. Eu não tenho preconceito contra fumantes. Eu não ligo se ela tá bêbada, mas deixa eu tomar meu caldinho de feijão em paz. Interagindo com pessoas interessantes, que é bem melhor. Pratique o bom senso.

11:27 AM

 
Blogger Li@ Rizzo said...

Hahahahahahahahahahaha

1:16 PM

 
Blogger joao said...

Bom, o Marco Aurélio, pelo menos, manteve a coerência dentro da sua ignorância. Traduzindo: "Sou um anti-social e acabou. Eu me basto e não me encha o saco seu ser humano comum" Tudo isso seguido de um muxoxo e uma bufada. Típico de um paulistano cool que nesse inverno não sai de casa sem o seu cachecol de lã e seu iPod, mas não olha para o lado, nem para ninguém. É do tipo que adora falar mal do último disco do Chico, coisa que é lugar comum para a galera hype.

Já a amiguinha Paula criou uma sub-classificação dentro do grupo de pessoas interativas. Segundo ela, existe o grupo de pessoas interativas inteligentes "que sabem a hora de se calar." O que a nossa querida gaúchinha não percebeu é que o Marco Aurélio não suporta pessoas interativas de qualquer espécie, não importando em qual sub-classificação elas se enquadrem. Veja que ele se irritou com a primeira abordagem do tiozão gente boa, não com a insistência. Na ansia em defender seu guru, a mocinha deu essa pequena vacilada, o que não compromete a validade da sua argumentação, apenas não serve como defesa do tio marco aurélio. Concordo que existem pessoas interativas legais e desagradáveis, apenas acho que é uma questão de saber lhe dar e não fazer cara de bunda como o ilustre autor desse post. O tiozão da fila do Poupatempo, por exemplo, me pareceu um sujeito comum com uma grande necessidade de interagir positivamente sem saber como. Agora, se a tia bebada viesse atrapalhar meu caldinho de feijão, eu simplesmente falaria de forma firme: "tia, vc está breaca! será que a senhora faria a gentileza de me deixar em paz, puta que pariu?" Pronto. Eu interagiria com ela com a intenção de deixar claro que eu não gostei daquela forma de interação. Ser simples, sincero e interativo não é muito melhor que fechar a cara, se irritar e ficar criando úlceras?

2:01 PM

 
Blogger Paula Pereira said...

Bom, parece que você não entendeu minha mensagem. Pra começo de conversa não classifiquei pessoas interativas.Dei um mero conselho para que pessoas interativas não sejam tão importunas. Siga se servir o chapéu. Segundo ponto: Não queria defender o Marcão, de forma alguma, inclusive posso confirmar algumas das tuas hipóteses. A pouco ele de fato falou mal do cd do Chico, por exemplo, o que não neutraliza a chatice de uma pessoa inconveniente. Terceiro ponto: Chato, birrento, anti-social, whatever, a gente gosta dele mesmo assim. E tenho dito.

2:23 PM

 
Blogger Marco Aurélio said...

Obrigado, gaúcha. Mas viu no que dá interagir com desconhecidos? Sai pra lá! Cadê meu desinfetante?

2:27 PM

 
Blogger joao said...

Não, não Paulinha. Voce própria não está conseguindo fazer uma interpretação correta do seu texto. Será que era caldinho de feijão que voce estava tomando mesmo? Bom, vamos lá, voce disse com todas as letras: "um interativo inteligente é aquele que sabe a hora de se calar." Pronto, voce acabou de criar uma classificação, pois se há o interativo inteligente, necessariamente existe o burro. Até aquele momento ninguém havia feito essa diferenciação entre pessoas interativas. Criou uma classificação sim, boba é verdade, mas criou.

Voce diz que gosta do Marco Aurélio mesmo ele sendo chato, birrento, anti-social e..."whatever"????? Putz, eu já devia desconfiar que estava interagindo com outra pessoinha da turma hype. Utilizar palavras em inglês para dar um ar moderno e descolado ao texto é um artifício que só uma pessoa muito cool pode ter a ousadia de utilizar. "Whatever" então...melhor ainda.

Bom, mas fugindo dessas miuças bobas que não nos levarão a nada, você não acha curioso um cara que não suporta "pessoas interativas" criar um blog? Vai ver que ele só gosta de um tipo de interação, a interação virtual, sem contato direto com populares? Será um novo tipo de cara cool que está se criando na sociedade pós-pós-moderna? Mãos a obra, Paula. Só você é capaz de criar uma classificação bacana.

Você é uma menina legal, só precisa trocar de guru.

PS: viu como ele criticou o novo disco do Chico? Aposto que semana que vem já vai estar falando mal do próximo. Não ouviu e não gostou.

2:56 PM

 
Blogger Paula Pereira said...

Ai, ai. Querido, cansei de ti. Sinceridade. Que ousadia me dizer que eu não entendi o que EU quis dizer! Fique com as suas interpretações, nem ligo. Eu não perco mais meu tempo te respondendo. Não mesmo, tô fora. Nem quero filosofar aqui senão posso te dar pano pra manga para continuar sendo insuportavelmente interativo e eu não tenho mais paciência pra isso. Quem sabe sobre outro texto, outro assunto. Quem sabe? Converse com seus botões, na língua que bem queira. Beijo, tchau.

5:54 PM

 
Blogger Marco Aurélio said...

Ó deus...
Eu jamais dirigiria a palavra a um sujeitinho tão rude, mas também não posso deixar uma amiga querida ser ofendida dessa forma. Então, João, faça o favor de manter uma certa distância, ok? Só vou dizer algo bem rapidinho e voltar à minha confortável misantropia.
Levando-se em conta o talento, carisma, inteligência (além da óbvia beleza) de minha amiga Paula, é mais fácil eu acompanhá-la than the other way around. Não estou em posição de ser guru de ninguém, e muito menos dela, que se garante.
Ah, e se expressões em inglês o ofendem, procure o Yázigi mais próximo. Ninguém reclama de ler expressões em francês nos clássicos da língua portuguesa, mas fica logo na ponta dos cascos para defender o idioma quando usamos termos em inglês. Mind you.
Pronto, agora chega. Não vou discutir, não adianta tentar. Sou contra discussões e outras formas de interação, e não me interessa a opinião alheia.

6:06 PM

 
Blogger Marco Aurélio said...

Wrong link, sorry.

6:08 PM

 
Blogger Gabi said...

Bla, bla, bla "cool", "Chico", "hype".... chato, nao?

Gente, um dia fora e eu perco tudo isso??? Puta merda!!!

6:12 PM

 
Blogger Bruno Ferrari said...

é.. nao lembro muito bem quem me disse isso. Acho que foi meu bisavô, Delfim Moreira, ex-presidente da República.

"Hype de cu é rola"

8:00 PM

 
Blogger Bruno Ferrari said...

by the way... alguém sabe onde eu posso comprar um cigarro daqueles que você faz na hora. Não to falando maconha, to falando fumo de rola mesmo. Ou é de rolo? Enfim, o velinho que vendia aqui na esquina da Santo Amaro morreu. Segundo Don Manuel, o venturoso, dono da padaria, cujo antepassado foi rei de portugal, o vendedor de fumo de rola, ou de rolo, foi atropelado por um ônibus. É por isso que eu digo. Motorista de ônibus e merda para mim é a mesma coisa.

Falando em motorista de ônibus, hoje eu deixei o carro na garagem e fui trabalhar de transporte coletivo. Não, não foi por uma questão ambiental, foi por uma questão 'é-rodízio-do-meu-carro-porra' e um maldito resolveu marcar entrevista antes das 10.

O joão, tipo assim, eu nao sou da classe média. Eu sou meio tipo, burguesinho... Mas eu acho o adjetivo hype superrr legal..

Eu posso ser, mesmo não sendo da classe média, mas um burguesinha da zona sul, um Hype?

Proucure me responder. Talvez mande uma carta para o pessoal do Monty Phyton dizendo que eu aceito, finalmente, reescrever 'o sentido da vida'.

8:09 PM

 
Blogger Paula Pereira said...

Hahahahahahahahahahahahahahahahaha Só agora que eu vi o link certo, que do mal!!! Pensem o que quiser, eu amooo humor negro heheh

8:38 PM

 
Blogger Bruno Ferrari said...

correção
*Monty Python

8:55 PM

 
Blogger joao said...

Tenho plena consciência de que estou sendo chato. Claro, essa é uma qualidade intrínseca de pessoas interativas, segundo o Marco Aurélio. Mas, cá entre nós, conquistar fama de simpático com o marquinhos deve ser uma árdua tarefa e não é essa a minha intenção. Na verdade o que eu queria mesmo é interagir com a Paulinha, (desculpe o diminutivo, é que pessoas interativas pegam intimidade fácil) que apesar de insistir em querer provar o contrário , deve ser uma pessoa agradabilíssima. A foto dela emana simpatia.

Pô Marquinhos! Nem sabia que estavámos discutindo. Só fiz um comentário bobo, em cima de um texto bobo. Normal. Se voce acha que estavámos discutindo, sinto lhe dizer que nessa prova autista das Paraolimpíadas você estava disputando contra si mesmo.

E ai Brunão! Apesar de voce ter tido a intenção de escrever um texto engraçado, lamento informá-lo que ele não atingiu seu objetivo. E olha que as pessoas interativas tem uma necessidade bocó de querer achar graça em tudo. Quanto a sua crise de identidade, trago-lhe boas notícias. Como diria a Paulinha, "relax, my brother" - voce é um cara totalmente cool. Seu óculos é o ícone máximo do cool. Voce esta totalmente "in", "don´t worry man".

Pessoal, apesar do mau humor do marquinhos, gostei muito de conversar com todos voces. Voltarei a importuná-los mais vezes.

6:08 AM

 
Blogger Edu said...

Hahahhaa... o bicho pegou! Triiiiiiiim. Quero ver todo mundo peladinho no ringue com gel!!!

6:13 AM

 
Blogger Edu said...

Opa!!!! Essa "lupa" que o Bruno está usando é minha.

6:17 AM

 
Blogger Bobie Salles said...

Eu acho que o coment do garoto João já poderia entrar para o "Gente, foi horrível" por ele próprio.

De qualquer forma, sou obrigada a concordar... com a Paulinha (sim, sendo minha quase amiga, posso chamá-la por diminutivos, sem ser [mais uma pessoa interativa mala]), com o Bruno e com o Marco.

Quem é o cidadão que chegou "para abalar"?

TSC, TSC...

1:47 PM

 
Blogger - Elis - said...

Marcão, tem dia que você não tá pra papo e ponto. Eu ainda não sei identificar esses interativos e acabo dando corda. E me ferrando, claro. Outro dia no metrô um cara me perguntou algo e eu respondi. Estava terminando uma leitura, mas o infeliz não me deixou terminar. Até o dedo no meio das frases ele enfiava. Humpf! Fiquei com um humor péssimo o dia todo.

8:00 AM

 

Post a Comment

<< Home