É birrento? Se irrita por pouco? Reclama por qualquer coisa? Junte-se a nós!

Monday, October 22, 2007

E ele cagou um elefante...

Gente, eu já contei aqui algumas histórias horríveis que passei em ônibus, mas essa supera qualquer uma, aliás, supera qualquer post desse distinto blog, supera tudo!
Gente! Foi mais do que horrível.
Já é uma merda ter que pegar ônibus lotado todo dia e já passei por tantas coisas que até esqueço de escrever aqui. Outro dia, o coletivo estava tão lotado, mas tão lotado, que a última pessoa que entrou teve sua bolsa presa na porta. Ele gritava desesperado: “tá amassando minha marrrrrmita, oooo motorista eu trouxe ovo hoje, vai destruir tudin”.
Bom, mas essa foi até engraçada. Mas vamos à história horrível e horripilante que passei na última sexta.
Lá fui eu novamente para o ponto lotado da Consolação com a Paulista. Peguei o Jardim Macedônia, lotado, abarrotado, craudeado. Fiquei um pouco na parte da frente, já que passando a catraca tava show de horror, todo mundo grudado um no outro.
Quando estava chegando perto da minha casa (faltavam uns 4 pontos) resolvi passar. Passei e fiquei grudada na catraca. Na minha frente havia uma moça interativa, ela olhou para mim e disse: ônibus lotado e a gente ainda têm que agüentar isso!
Eu pensei: isso o quê?
Quando vi tinha um bêbado bem ao meu lado. O cara tava mals gente, falava cuspindo, todo inchado e pelos movimentos dos olhos percebia-se que tudo rodava. Ele tava bem perto mesmo de mim, quase encostado, fedia cachaça.
Assim que percebi a existência do maldito ele começou a fazer movimentos estranhos (alguém aqui já viu um gato vomitar? Se viu sabe, ele estava fazendo esses movimentos).
Pela posição do homem o jato de vomito não só cairia em mim como direto na minha cara. Entrei em pânico e comecei, em vão, tentar sair do lugar que eu estava, mas tava difícil não tinha para onde correr.
De repente, o cara faz uma cara de alivio e notei que não havia vomito. GENTE, O CARA SE CAGOU TODO EM PLENO JARDIM MACEDÔNIA, LOTADO, ÀS 6:30 DA TARDE.
Vocês não fazem idéia de como o pessoal achou lugar rapidinho, parecia que haviam dado um tiro dentro do ônibus, todo mundo começou a se apertar para o fundo e gritar. Um moça bem baixinha que estava próxima de mim colocou o rosto nas axilas de outro moço, eles não se conheciam.
Uma outra, que tinha cara de ser uma pessoa divertida, gritava e colocava a mão na boca e dizia com sotaque nordestino: ai gente, não posso com essa caatinga acho que vou vomitar. Uma senhora, coitada, que estava bem ao lado do moço no momento do alívio não teve dúvidas, pegou sua bolsa e agrediu o homem na cabeça diversas vezes. E dizia: rá simbora seu bebo, tu tá é fedeno que nem um porco.
Era o inferno de Dante em Plena Rebouças. Pessoas desesperadas, uma coisa horrível.
O motorista percebeu o motim, abriu a porta do ônibus no meio da avenida e o homem começou a passar pelas pessoas para chegar até a porta, nessa hora a gritaria foi geral, algumas se penduraram, outras sentaram no colo de quem estava nas cadeiras e o moço desceu e caiu coitado.
Nessa hora fiquei até com dó, o cara caído no chão todo cagado, que situação né! Mas o que eu podia fazer? Ajudar ele? Sou até que uma pessoa bacana, mas ajudar esse sujeito era demais!
Enfim, não consegui comer mais nada durante aquele dia e nem me esquecer daqueles momentos de horror.
Eu desafio qualquer um aqui a contar uma história pior que essa. Mas tem que ser relacionada a transporte público.
Aliás, daria para escrever um livro com histórias horríveis em transportes públicos, alguém se habilita a ser meu parceiro?
Beijo tchau

18 Comments:

Blogger Gabi said...

Que coisa mais nojenta. Eu já apanehir de mendigo, mas nunca presenciei uma cena dessas, ainda bem.

Gostei da idéia do livro. Me aceita de co-autora?

11:25 AM

 
Anonymous denizu said...

Uma vez eu tava no metrô, bem tardão, quase meia-noite. E me entra um pedinte...q ia de pessoa em pessoa pedir dinheiro pra comprar comida. Quando ele parou na minha frente, ele levantou o olhar e, em seguida, caiu - pof - no chão, mortinho da silva. Morto mesmo, naum respirava, o povo no vagão desesperado... aí surge uma senhora que havia dado dinheiro ao pobre homem, e pega a nota de volta!! pior o homem morrer na minha frente ou a mulher pegar dinheiro de volta?

O livro seria ótima idéia, mesmo. imagino um capítulo só com "causos" de vendedores ambulantes em metrô, trem, ônibus...

12:47 PM

 
Anonymous Karin said...

Meu, tô com ânsias de vômito... mas mesmo assim não consigo parar de rir, é inacreditável!

4:04 PM

 
Blogger Jessica said...

Denizu (nome engraçado)
A sua história é ótima, gente!!!
O cara morre no metrô na sua frente e ainda tem que lidar com a mesquinharia alheia...
Adorei

Gabi, eu digo sim, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença...

5:28 AM

 
Blogger Bobie Salles said...

Gente foi horrível é pouco para expressar esse post. Seria melhor mudar o nome do blog para: "Gente, foi horripilante".

Se eu puder, também serei co-autora. Tenho histórias ótimas pra contar. Inclusive, estou fazendo um blog com uma amiga sobre trivialidades nos coletivos. Assim que terminar o primeiro post, passo para vocês.

Grande beijo!

12:26 PM

 
Anonymous Anonymous said...

Menina......foi horrivel mesmo.Estou traumatizada só de imaginar...tõ morrendo de rir, mas tô traumatizada! KKKK!

5:50 AM

 
Blogger Edilene said...

Miseriqueima.......

Ninguem merece isso hein !!!

Bebada e Cagado


afffffffffff

Sorry...simplesmente Sorry




kkkkkkkkkkkkk

Mas foi divertido lê isso.

8:09 AM

 
Anonymous Anonymous said...

Gente, este blog é horrível! A história do cagado é normal, mesmo que ele estivesse são não haveria sanitário e ele cagaria de qualquer modo. Qto ao morto que teve de devolver a esmola foi mesmo típico de nossa sociedade; já que não vai aproveitar pego meu dinheiro de volta. A mim aconteceu de buscar um despertador enooooorme no relojoeiro pra um amigo; embrulhado carregava ele na mão num lotação lotado (que horrorosa redundância) quando o danado tocou a sirene de despertar, alto, chato e não parava nunca. Tive que desembrulhar o pacote pra desligar o maldito - com todo mundo dando risada em volta. Gente, foi horrível !!!!!

3:28 PM

 
Blogger dani said...

Haahahahahahah, adorei o do despertador, gente que mico!

12:59 PM

 
Blogger Gabi said...

Isso aí, galera. Contem mais histórias horríveis, estamos gostando.

3:10 AM

 
Blogger Maria said...

Toda minha vida rodando dentro de ônibus, tenho cada historia q nem parece verdade, mas é. Tenho duas incríveis, uma de um bêbado que arrumou uma confusão e na qual eu servi de testemunha na delegacia e outra mais bizarra que vou contar agora:

Acredite se quiser, mas eu já vi uma pessoa receber uma entidade dentro de um busão lotado. Era o circular 1.500 de uma linha administrada pelo governo da Paraíba (q diabos quer governo administrando linha de ônibus?!). Pois, por ser do governo, velho entrava de graça, estudante entrava de graça, vendedor de balinha de graça, grávida, policial, cachorro, gato, papagaio... tudo de graça e o carro sempre lotado. Quem não andava de graça e tinha q usar a tal linha merecia dó todo dia. Esse era o meu caso, só esse passava no meu bairro e na Universidade. Era isso ou pegar dois. Bom, uma tarde estava eu no meio da viagem e nesse dia tava tão lotado q tinha horas q eu não sentia o pé no chão, não dava pra se mexer uma vírgula. De repente, um tumulto no meio do ônibus e abriu-se espaço sabe Deus como. Era gente em cima das cadeiras, dependurado nos ferros, em cima da catraca (lá a gente chama roleta), enfim, todo mundo amontoado e homem se debatendo no chão, espumando, urrando em um idioma q devia ser de outro mundo pois ninguém entendia nada. O motorista, acostumado a esses "incidentes", nem parou. Seguiu até o hospital mais próximo e largou o cara lá.

Ah, o nome da empresa era Setusa, pra que não reste dúvidas sobre a veracidade da história.

5:52 PM

 
Blogger Jessica said...

Amiga Maria.
Você venceu...
O cara receber o mizifi no buzão é dose em?
Por essa um nunca passei...
Beijos

10:43 AM

 
Blogger Vivi said...

Já vi coisas nojentas, mas essa ganhou!

1:38 PM

 
Blogger Sakana-san said...

Eu me candidato a escrever o livro com você! Tenho mais de 15 anos de "know how" dentro de busão...

5:38 AM

 
Blogger Jessica said...

haushausehauhseuhauhushuheahuehsuaahuaheuahuahsuehasuhsauehaushausheau
..chorei de rir!!! Sério, até molhei o teclado!!! Que absurdo!!! A descrição do pânico dos passageiros foi o mais engraçado!!!

9:10 AM

 
Anonymous Weliton said...

Gostei da ideia do livro. você descreveu bem a história e o tema é interessante pois no transporte publico ocorren situações divertidas e as vezes nem tanto.

4:43 PM

 
Blogger Catarina said...

Minina, que coisa horrorosa!!!! Gente cagada no ônibus eu nunca vi, só vomitada mesmo. E finalmente a Bobie e eu criamos o blog sobre as aventuras nos coletivos. Dá uma passada lá! http://trivialidadesnocoletivo.surtohype.com

8:27 PM

 
Anonymous Anonymous said...

Pronto, pela quadragésima vez eu li essa história e tive um ataque de riso. O pior é que os meus ataques de riso não se distinguem dos ataques de choro: fico vermelha, lanço grunhidos e choro como uma carpideira. - Isto! ao ponto de os meus colegas de trabalho se reunirem à minha volta a perguntarem com cara de enterro " O que é que aconteceu?"
e eu, parva, a abanar as mãos histérica "é um ataque de riso".
Quase me insultaram.
C.

7:01 AM

 

Post a Comment

<< Home